quarta-feira, 24 de outubro de 2012

SUBLIMAÇÃO



o poeta em sua arcadia




                     Não consigo sublimar,
                     é difícil concentrar
                     nessa terra de
                     enormes bundas!

                     (Elas estão por todo lado,
                      acompanhadas por belas
                      pernas)

                      Quando não se esta penetrando
                      a solução é se masturbar,

                      nessa tentação, que é existir...

                      Eu não consigo
                      sobremaneira produzir,
                      não consegue fluir
                      minha poesia...

                      só aos poucos...

                      dividida pela ausência
                      da métrica,
                      fatigada na comunhão
                      do signo linguístico.

                      É sangue.

                      Por isso,
                      além da imagem
                      de um belo e cheiroso
                      priquito,
                      há salvação
                      no talento, na imaginação
                      e na arte,

                      enfim,
                      na sublimação.


                                                                       Yuri Hícaro






                     

2 comentários:

  1. Em uma atividade realizada pela ONG CeM (Cultura em Movimento) para a organização do I ENCLIR,na UERN/CAMEAM um poema chamou muita atenção - "Sublimação". Para tirar a névoa dos olhos dos leitores que não conseberam muito bem a minha quase polêmica estrofe, posto aqui o trabalho inteiro.
    Fica para os leigos a mensagem que meu poema não desafia a moral, mas a compreensão, longe de ser esta uma tentativa de me equiparar a Rimbald ou Anita Malfatti...

    ResponderExcluir